terça-feira, 7 de julho de 2009

Os Sete Encontros De Jesus


PRIMEIRO: Com Nicodemos e seu racionalismo ( João 3).
Pessoas que são religiosas, mas não espirituais; Dizem crer em Deus, mas não conseguem viver a vida de Deus; quando desafiadas a crer no invisível, racionalizam, inventam desculpas, mas não se lançam na fé; não assumem publicamente um compromisso com Deus; tentam conquistar o favor de Deus com boas obras e discursos adequados.
A solução: nascer de novo, reconhecer a necessidade de receber uma natureza espiritual, sem a qual nada acontece. Somente quem nasceu de novo, consegue visualizar e acessar o reino de Deus.

SEGUNDO: Com a mulher samaritana e sua rejeição ( João 4).
Pessoas profundamente roubadas, cujas necessidades nunca foram atendidas; gastam a vida buscando um preenchimento, um sentimento de realização; os relacionamentos familiares foram problemáticos e doentios, gerando uma personalidade fraturada e um caráter deficiente em várias áreas; tentam preencher estes vazios, com relacionamentos tão doentes quantos elas próprias;
A solução: crer que Jesus é a provisão para qualquer carência humana! Somente Ele pode prover o que alma necessita para ser feliz. Beber da água viva é beber de Jesus mesmo, é apropriar-se da vida de Deus. É terminar com as situações que trazem secura em nossas vidas.

TERCEIRO: Com o oficial do rei e sua incredulidade (João 5).
Pessoas cheias de medo, de incertezas, que esperam que Deus as atenda, mas à sua própria maneira. Geralmente, só ficam satisfeitas quando vêem. Tem uma grande dificuldade em simplesmente crer, a despeito das circunstâncias em redor. Querem um reforço para a fé, um sinal, uma maravilha, algo que lhes permita sair da incredulidade. Mas nunca crêem realmente.
A solução: simplesmente obedecer ao comando de Deus. Ainda que demore, ainda que haja uma longa caminhada pela frente, continuar crendo.

QUARTO: Com o paralítico e sua culpa ( João 5).
Pessoas extremamente infelizes e frustradas. A culpa as paralisou de tal modo, que não conseguem avançar na direção da solução de seus problemas. Estão sempre em uma fila que não anda. A culpa é um tormento constante, que prende estas pessoas em um passado desagradável e que não as deixa sonhar com um futuro.
A solução: aceitar o fato de que Jesus não está interessado no passado. Mas no presente: Levanta-te! é a ordem que Ele dá a todos o que padecem de algum sentimento de culpa e condenação. O perdão de Jesus, cobre qualquer passado destruído, e prepara a pessoa para um futuro vitorioso.

QUINTO: Com a mulher adúltera e sua vergonha (João 8).
Pessoas presas em comportamentos condenáveis. Não tem orgulho do que fazem, mas não conseguem parar de fazer. Uma terrível escravidão mental e emocional. Estão sempre temerosas de serem descobertas, sempre temendo que algo terrivelmente ruim as atinja por causa do que praticam às escondidas. Vivem uma permanente vergonha.
A solução: aceitar o perdão incondicional de Jesus e apropriar-se de Sua palavra: "não peques mais!". Esta declaração não é um conselho, mas é uma ordem. E se é uma ordem, há poder nesta palavra.

SEXTO: Com os acusadores da mulher adultera e suas hipocrisias ( João 8).
Pessoas que, para encobrirem suas próprias misérias, apontam as dos outros. São rápidas para julgar e condenar. Tem um padrão moral muito elevado, mas não o seguem, adotando uma vida dupla. Estão sempre procurando alguém para criticar. São manipuladores e gostam de se esconder atrás de regras e costumes.
A solução: deixar-se ser confrontado por Jesus e não fugir como os fariseus fizeram. Se Deus apontar o pecado, procurar o arrependimento e a libertação.

SÉTIMO: Com o cego de nascença e sua maldição ( João 9).
Pessoas que crêem ter nascido com um destino terrível para cumprir. Não se vêem dignas de nada a não ser de sofrimento. Acomodaram-se na explicação de que estão purgando faltas de seus antepassados e que as limitações que enfrentam não podem ser mudadas. É uma fatalidade! Simplesmente vão repetir a trajetória infeliz de seus pais.
A solução: crer que Deus quer manifestar a glória dEle nas limitações impostas pela vida. Crer que Jesus está vendo tudo, ainda que não se veja nada. Crer que Jesus tem exatamente o que falta para fazer da vida uma experiência feliz.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá pastor Herberti e pastora Ana. Graça e Paz!
Que mensagem maravilhosa! Estava no culto quando o senhor pregou essa mensagem, mas hoje ela falou intensamente em meu coração. As vezes me sinto como a mulher samaritana, como o paralítico, como o cego. Que eu possa colocar em prática as soluções aqui apresentadas e desfrutar de uma vida feliz e abudante, que só em Cristo Jesus encontramos. Agradeço a Deus pela vida de vocês. Pastor Herberti o senhor tem sido um instrumento nas mãos de Deus para meu crescimento espiritual. obrigada, graça e Paz! Elaine IBL