quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Agradecimento

A todos os amigos que nos honraram ao longo de 2010 com visitas e comentários, desejamos um feliz e próspero ano de 2011.
Esperamos continuar merecendo vossa atenção e colaboração.

Paz a todos.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Mulçumanos Semeiam Ódio Religioso Em Londres


"Os Males do Natal
No primeiro dia do Natal, meu grande amor
me deu uma DST de presente!!!

Dívidas no segundo dia, estupro no terceiro, gravidez na adolescência no quarto, além de aborto, farras, a afirmação de que Deus tem um filho, blasfêmia, exploração, promiscuidade sexual, boates, crimes, pedofilia, paganismo, violência doméstica, pessoas vivendo nas ruas, violência, vandalismo, álcool, drogas...
No Islam, estamos protegidos de todos estes males
Temos casamento, família, honra, dignidade,
segurança, direitos para o homem, a mulher e a criança

Tel: 07591-937509 ou www.xmasisevil.com."

Fanáticos de um grupo islâmico proibido lançaram uma campanha de cartazes por todo o país denunciando o Natal como o mal. Os organizadores planejam colocar milhares de cartazes em todo o Reino Unido alegando que a época de boa vontade é responsável por estupro, gravidez na adolescência, aborto, promiscuidade, crime e pedofilia. Eles esperam que a campanha ajude a "destruir o Natal" levando os britânicos a se converterem ao Islã.

O deputado trabalhista e militante anti-racista Jim Fitzpatrick classificou os cartazes como "extremamente ofensivos" e exigiu que eles fossem imediatamente removidos. Os cartazes, que já apareceram em algumas partes de Londres, apresentam um cenário aparentemente festivo com uma imagem da estrela de Belém sobre uma árvore de Natal. Mas, sob o título "Os males do Natal" apresenta uma mensagem zombando da música "Os 12 dias do Natal".

O organizador da campanha é Abu Rumaysah, de 27 anos de idade, que uma vez pediu a Lei Sharia na Grã-Bretanha em uma conferência de imprensa realizada pelo pregador do ódio Anjem Choudary, líder do grupo militante Islam4UK.

O ex-Ministro do Interior, Alan Johnson proibiu o grupo Islam4UK no início deste ano, tornando-se crime ser um membro dele, depois que ele ameaçou protestar contra Wootton Bassett, a cidade onde a Grã-Bretanha homenageia seus mortos de guerra.

Sr. Rumaysah disse ao Correio que ele não estava preocupado em ofender os cristãos. Ele disse: "O Natal é uma mentira e como os muçulmanos, é nosso dever atacá-lo. "Mas o nosso ataque principal é sobre as frutos do Natal, coisas como o abuso de álcool e promiscuidade, que aumentam durante o Natal e todos os outros males que levam a violência, o aborto, a violência doméstica e a criminalidade. "Esperamos que a campanha fará que as pessoas compreendam que o Islã é a única maneira de evitar isso e se convertam".

Sr. Rumaysah disse que sua campanha não estava ligada a nenhum grupo, vangloriou-se que os cartazes seriam colocados em cidades de todo o país, incluindo Londres, Birmingham e Cardiff.

A campanha foi destacada por voluntários de uma instituição de caridade que distribui comida e presentes para os aposentados e solitários no Natal.

Irmã Christine Frost, fundadora de uma instituição de caridade disse: "Quantos cartazes eu vi, mais irritada eu fiquei. "Alguém está atiçando o ódio, deixando o caminho aberto para ataques de vingança ou bombas nas caixas de correio". "Eu disse ao prefeito que estão todos com medo". "Se dissessemos tais coisas sobre os muçulmanos, estaríamos todos pendurados em postes de luz".

Os cartazes parecem ser impresso profissionalmente.

Fitzpatrick disse: "Esses cartazes são extremamente ofensivos e entristeceram um monte de gente - é por isso que pedi que fossem removidos.

Irmã Christine está enraizada na comunidade e não tomou o caso como uma ofensa leve.

"Mas esses posters de ódio realmente nos incomodaram. O Natal é algo muito próximo em nossa crença. "

Um porta-voz da polícia metropolitana disse que tinha recebido mais denúncias e estavam investigando.

Ele disse: 'Nós estamos investigando alegações de crime de ódio religioso em Tower Hamlets na sequência de queixas sobre cartazes exibidos em e ao redor da área Mile End ".

Tower Hamlets prefeito Lutfur Rahman disse que o cartaz tinha "chateado e antagonizado muitos moradores.

Ele acrescentou: "As mensagens destes cartazes são ofensivas e não refletem a opinião do Conselho ou da maioria dos moradores".

Fonte: DailyMail e blog Dextra.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Charlton Heston E A Guerra Cultural

Dedicando o memorial de Gettysburg, Abraham Lincoln disse da América: ‘Estamos envolvidos numa grande guerra civil, testando se esta nação consegue resistir’. Essas palavras são verdadeiras de novo.

Estamos novamente envolvidos numa grande guerra civil, uma guerra cultural prestes a sequestrar seu direito natural de pensar e de dizer o que existe no seu coração. Tenho certeza de que vocês não confiam mais no sangue vital da liberdade que pulsa dentro de vocês, a coisa que fez esse país se erguer da natureza selvagem ao milagre que ele é.


Há um ano ou dois, me tornei presidente da Associação Nacional do Rifle (National Rifle Association), que protege o direito dos cidadãos americanos de ter armas. Agora sirvo de alvo móvel para a mídia, que me chama de tudo, de ‘ridículo’ e ‘iludido’ a ‘velho doido, senil, deficiente mental’. Sei que sou bem velho, mas certamente o Senhor não está senil.
Como fiquei no caminho daqueles que miram as liberdades da Segunda Emenda, percebi que as armas de fogo não são a única questão. É muito maior que isso.

Compreendi que uma guerra cultural está se alastrando por nossa terra, na qual, com fervor orwelliano, certos pensamentos e discursos são obrigatórios.
Por exemplo: eu marchei com o senhor King pelos direitos civis em 1963 - muito antes de Hollywood considerar isso aceitável, devo dizer. Mas quando eu disse a uma audiência no ano passado que orgulho branco é tão válido quanto orgulho negro, orgulho vermelho ou qualquer outro orgulho, me chamaram de racista.

Trabalhei com homossexuais brilhantemente talentosos ao longo da minha carreira inteira. Mas quando eu disse a uma audiência que os direitos dos gays não deveriam ultrapassar os seus direitos ou os meus direitos, me chamaram de homofóbico.


Todo mundo que eu conheço sabe que eu nunca agrediria meu país. Mas quando eu pedi a uma audiência que se opusesse a essa perseguição cultural da qual estou falando, fui comparado a Timothy McVeigh.
Da revista Time aos amigos e colegas, eles estão basicamente dizendo: ‘Como você ousa se expressar assim? Você está usando linguagem não autorizada para consumo público’. Mas eu não tenho medo. Se os americanos acreditassem em correção política, nós ainda seríamos os criados do rei George - sujeitos à Coroa Britânica.

Como vencer essa submissão generalizada?

A resposta sempre esteve aqui. Eu a aprendi 36 anos atrás, nos degraus do Lincoln Memorial, ao lado do doutor Martin Luther King e 200 mil pessoas. Você simplesmente desobedece. Sim, pacificamente. Respeitosamente, é claro. Sem violência, definitivamente. Mas quando nos disserem como pensar, o que falar ou como nos comportar, nós nos recusamos. Nós desobedecemos ao protocolo social que reprime e estigmatiza a liberdade pessoal”.


Em 1999, o ator Charlton Heston (1923-2008) fez este belo pronunciamento aos estudantes de Direito da Harvard, do tipo que está caindo na ilegalidade, exortando-os a lutar contra a tirania politicamente correta. Heston, naturalmente, pensava nos Estados Unidos, mas a opressão que ele denuncia se alastra por todo o Ocidente. Deixo à vossa apreciação trechos do discurso do ator aos universitários, intitulado "Vencendo a guerra cultural".

Adaptado do blog de Bruno Pontes.

Texto original em American Rhetoric.

Associar-se Com O Governo Lula Tem Custado Caro Para José Alencar

A Coteminas, empresa do vice-presidente José Alencar, teve o pior desempenho na Bovespa durante os anos do governo Lula entre as empresas de maior liquidez na bolsa.

No período, as ações da companhia recuaram 51,7%, segundo levantamento feito pela consultoria Economatica.

Além de ter tido o pior desempenho, a Coteminas foi a única empresa que viu suas ações se desvalorizarem durante o governo Lula. O segundo pior desempenho foi da Embraer, que teve valorização de apenas 17,9% no período.

A Telebrás foi a empresa que viu suas ações se valorizarem mais neste período: elas subiram 7.531,2%.

A valorização foi bem superior à da segunda colocada, que foi a CCR Rodovias. As ações da companhia tiveram uma alta de 3.546,9% no período.

Já a AES Tietê, que ficou em décimo lugar no ranking, teve uma valorização de 1.777,5% no período, ou seja, mais de três vezes a valorização do Ibovespa.

O levantamento foi feito com as ações com mais de 80% de presença nos pregões; volume financeiro médio diário no período maior que R$ 1 milhão; e ter um negocio pelo menos na última semana.

A Coteminas, empresa do vice-presidente José Alencar, teve o pior desempenho na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) durante os anos do governo Lula entre as empresas de maior liquidez na bolsa.

No período, as ações da companhia recuaram 51,7%, segundo levantamento feito pela consultoria Economatica.

Além de ter tido o pior desempenho, a Coteminas foi a única empresa que viu suas ações se desvalorizarem durante o governo Lula. O segundo pior desempenho foi da Embraer, que teve valorização de apenas 17,9% no período.

O levantamento foi feito base no período de 31 de dezembro de 2002 a 20 de dezembro de 2010.

Fonte: Portal IG


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A Próxima Guerra No Oriente Médio, Passo A Passo

Passo nº 1 – Israel ataca com mísseis e aviões algumas das instalações nucleares do Irã. O ataque é apenas parcialmente bem-sucedido. Israel não consegue danificar substancialmente o crucial complexo de Natanz, perde alguns aviões e pilotos e tem alguns pilotos capturados como prisioneiros de guerra.

Passo nº 2 – O Irã retalia com uma chuva de mísseis sobre Israel (o Irã tem mísseis à prova de interferência eletrônica e invisíveis aos radares e sonares). Milhares de israelenses morrem ou são feridos.

Passo nº 3 – O Irã fecha o Estreito de Hormuz, entrada e saída do Golfo Pérsico, estrangulando o comércio de petróleo para o Ocidente. Os Estados Unidos tentam reabrir o Estreito, mas a luta incessante não permite. Esta medida será crucial para o desfecho da guerra.

Passo nº 4 – O Hezbollah, agindo a partir do Líbano, lança uma chuva de foguetes e mísseis sobre o norte de Israel, causando mais centenas de baixas entre os israelenses.

Passo nº 5 – Israel invade o Líbano e é enfrentado pela guerra de guerrilhas do Hezbollah. Israel bombardeia intensamente o Líbano, causando centenas de mortos e feridos entre os civis, como em 2006.

Passo nº 6 – Israel tenta invadir a Síria, mas encontra forte resistência. O avanço é lento e as baixas são numerosas.

Passo nº 7 – O Irã envia grande quantidade de tropas para defender a Síria, usando, com consentimento, território e espaço aéreo turcos. Tropas israelenses e iranianas finalmente se enfrentam, em território sírio, perto da fronteira israelense.

Passo nº 8 – Tropas iranianas e sírias entram no Líbano, juntando-se ao Hezbollah contra Israel.

Passo nº 9 – Mísseis e ataques aéreos continuam fazendo grandes estragos, em ambos os lados.

Passo nº 10 – A Rússia adverte Israel a não usar armas nucleares.

Passo nº 11 – A Rússia adverte os Estados Unidos a ficarem fora da guerra.

Passo nº 12 – O mundo islâmico entra em convulsão e combustão. A revolução islâmica toma o poder no Paquistão, potência nuclear.

Passo nº 13 – O Paquistão adverte Israel a não usar armas nucleares.

Passo nº 14 – A revolução islâmica toma o poder no Egito.

Passo nº 15 – Israel invade o Egito, mas a luta é dura.

Passo nº 16 – Multidões na Turquia exigem a entrada do país na guerra.

Passo nº 17 – Os turcos entram no Líbano e, ao lado dos iranianos, dos sírios e do Hezbollah, expulsam os israelenses do território libanês.

Passo nº 18 – Começa a invasão do território israelense, a partir do Líbano e da Síria.

Passo nº 19 – A partir da Jordânia, que não está na guerra, a Al-Qaeda lança mísseis nucleares táticos contra Israel, causando milhares e milhares de mortes. Israel está perto de sucumbir.

Passo nº 20 – A Rússia renova suas advertências contra o uso de armas nucleares por Israel e contra a entrada dos Estados Unidos na guerra.

Passo nº 21– Obama é fortemente pressionado em casa para socorrer Israel.

Passo nº 22 – Israel é invadido também a partir do sul, pelo Egito.

Passo nº 23 – Os Estados Unidos enviam tropas a Israel.

Passo nº 24 – A Rússia ataca Israel.

Passo nº 25 – A China invade Taiwan. A guerra não é mais apenas no Oriente Médio.

Passo nº 26 – A Coréia do Norte invade a Coréia do Sul e ameaça ataques nucleares contra o Japão e os Estados Unidos. A guerra se torna mundial.

Passo nº 27 – Mesmo com a ajuda do império mambembe (os Estados Unidos), a situação de Israel é insustentável. É feito um acordo geral para evacuar os israelenses e transportá-los para os EUA, onde receberão um generoso pedaço de terra à beira-mar no Texas.

Passo nº 28 – O Ocidente perde a guerra em todas as frentes: a China reincorpora Taiwan e a península coreana é reunificada sob o comunismo norte-coreano. A Rússia faz grandes ganhos territoriais na Europa Oriental e no Cáucaso. O mundo entra numa nova era.

Fonte: Múltiplos Universos

Apesar de não concordar com tudo o que o sr. Gondim supôs, achei o texto interessante por ele ilustrar de modo vívido como pode se desenrolar um futuro conflito em escala mundial. Na realidade, há grande possibilidade de testemunharmos tais eventos.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Ditadura Às Portas: Universitária Perseguida Por Manifestar Sua Opinião

A estudante de graduação Jen Keeton, da Universidade Estadual de Augusta, afirma que funcionários da instituição exigem que ela se reeduque a respeito da moralidade, tendo que escolher entre abrir mão de suas convicções cristãs a respeito da homossexualidade ou ser expulsa do curso de Aconselhamento Escolar da universidade.

Mas agora, após meses de disputa contra a universidade nos tribunais, duas organizações pela liberdade de expressão juntaram-se a ela nesta luta.

A Fundação pelos Direitos Individuais na Educação e a Associação Nacional dos Bolsistas entraram como uma ação na Corte Federal de Apelações do Décimo Segundo Distrito, afirmando que é uma violação da Primeira Emenda esta universidade da Geórgia exigir que as convicções religiosas de Keeton sejam "influenciadas" por um treinamento de sua sensibilidade a fim de ela não ser expulsa.

De acordo com uma ação impetrada contra a escola no começo deste ano, funcionários de sua faculdade exigiram que Keeton, de 24 anos, passasse por um programa de "reabilitação", após ela afirmar que a homossexualidade é uma escolha comportamental, não um "estado do ser", como disse um professor.

Mais especificamente, o programa de remediação incluía um "treinamento da sensibilidade" a respeito de temas homossexuais, o estudo adicional de literatura de divulgação da homossexualidade e a ida a uma "parada do orgulho gay", sobre a qual ela deveria escrever um relatório.

"Além de violar os próprios direitos de Keeton à Primeira Emenda", diz o professor de Direito Eugene Volokh, da Universidade de Los Angeles, no texto da ação, "a retaliação da universidade também manda uma forte mensagem aos outros alunos: Se você expressar opiniões como as de Keeton, prepare-se para sofrer as consequências - prepare-se para ter de cumprir várias horas de obrigações extras, além de enfrentar o risco de ser expulso."

O processo original de Keeton, movido por advogados trabalhando com o Fundo de Defesa da Aliança, afirmava que a escola não podia violar a Constituição exigindo que as convicções religiosas de uma pessoa fossem mudadas.

"A faculdade prometeu expulsar a Srta. Keeton do programa de pós-graduação em Aconselhamento Educacional, não por mal desempenho acadêmico ou por manifestas deficiências em performance clínica, mas simplesmente porque ela expressou, tanto dentro quanto fora da sala de aula, que possuía convicções éticas cristãs em matéria de sexualidade humana e identidade de gênero," explicou o escritório de advocacia.

O próprio e-mail de Keeton em resposta aos membros da faculdade que supostamente estavam pressionando-a a adotar um sistema de convicções pró-homossexual define a disputa:

"Algumas vezes vocês disseram que devo alterar minhas convicções religiosas porque elas são antiéticas. Em outras, disseram que posso manter minhas convicções, desde que elas sejam pessoais e eu não acredite que ninguém deva crer no que creio. Mas esta é só uma outra maneira de dizer que eu devo alterar minhas convicções religiosas, porque elas são sobre a verdade absoluta... Para que eu possa concluir o curso de Aconselhamento, vocês estão exigindo que eu altere minhas convicções religiosas objetivas e também me comprometa agora a que, se eu algum dia, tiver algum cliente que queira que eu endosse sua decisão de fazer um aborto ou de aderir a um comportamento gay, lésbico ou transgênero, eu farei isto. Eu não posso alterar minha fé bíblica, e não vou afirmar a moralidade destes comportamentos em uma situação de aconselhamento."

De acordo com os documentos do processo, Keaton passa pela exigência de uma "reabilitação" porque ela supostamente (1) 'expressou discordância em várias situações de sala de aula e em trabalhos escritos em relação ao 'estilo de vida' gay e lésbico"; (2) "afirmou em um trabalho que acredita que os estilos de vida GLBTQ são uma confusão de identidade," (3) "compartilhou [com outro estudante] seu interesse em terapia de conversão para as populações GLBTQ" e (4) "tentou convencer outros estudantes a apoiarem sua fé e opiniões."

A direção da faculdade citou o código de ética da American Counseling Association e disse que é obrigatório os alunos seguirem suas regras para poderem obter o diploma de graduação na área.

Os membros da faculdade, portanto, exigiram que Keeton "fosse a três oficinas que enfatizavam... um treinamento em diversidade que fosse sensível ao trabalho com as populações GLBTQ." Eles também queriam que ela "desenvolvesse" seu conhecimento da homossexualidade pela leitura de 10 artigos e aumentasse sua exposição aos homossexuais e lésbicas indo à "Parada do Orgulho Gay."

"Para simplificar, a universidade está impondo uma reforma do pensamento," disse o Diretor da FDA David French. "Abandonar as próprias convicções religiosas não deveria ser uma pré-condição para se obter um diploma em uma universidade pública. Este tipo política de tolerância-zero esquerdista está em vigor em um número de universidades que já passou dos limites e tem que parar. O único crime de Jennifer foi ter as convicções religiosas que ela possui."

Ele acrescentou que um aluno de universidade pública "não deveria ser ameaçado de expulsão por ser cristão e recusar-se a renunciar publicamente a sua fé, mas é o que está acontecendo aqui."

A solicitação original de Keeton por um mandato de segurança para impedir a Universidade Estadual de Augusta de expulsá-la por sua recusa em cumprir o programa de reabilitação foi negado pelo juiz distrital federal J. Randal Hall.

"Este não é um caso opondo o Cristianismo à homossexualidade," Hall escreveu em seu parecer. "Assuntos de política educacional devem ser deixados aos educadores e não é o papel correto de juízes federais dar palpites na avaliação profissional de um educador."

Ele acrescentou que "se eu imporia o plano de reabilitação ou se eu incluiria outra coisa no próprio plano não vem ao caso, porque a Suprema Corte instrui que os educadores, e não os juízes federais, é que decidem qual a abordagem pedagógica."

O texto da ação conjunta da FDIE e da ANB explica, entretanto, que "uma universidade tem, de fato, uma grande liberdade de decisão a respeito do que todos os alunos de um dado programa ou curso em particular devem aprender. Mas ela não tem uma tal liberdade de impor obrigações curriculares especiais a alunos que expressem determinadas opiniões, sejam elas anti-homossexualidade, contra a guerra, a favor dos direitos ao porte de armas, contra a religião ou o que quer que seja."

O texto da ação conclui: "A menos que a decisão da corte distrital seja derrubada, ela representa uma ameaça de tornar-se um aval para outras universidades públicas que queiram restringir uma ampla gama de opiniões (não limitada, de forma alguma, à opinião anti-homossexualidade) a uma ampla gama de alunos (não limitada, de forma alguma, aos estudantes de educação)."

Fonte: Mídia Sem Máscara


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Quando Menos É Mais

Em uma certa rua de uma certa cidade, existiam três padarias que disputavam palmo-a-palmo a clientela.

Um dia, o dono de uma delas colocou na porta de sua loja uma faixa onde se lia: "O melhor pão da cidade!"

Um dos seus concorrentes, indignado com aquela atitude, que ele encarou como uma ofensa pessoal, não deixou por menos. Mandou confeccionar uma faixa onde escreveu "O melhor pão do país!", rapidamente providenciando que fosse afixada à porta do seu comércio.

O terceiro dono de padaria, analisando a situação entendeu que deveria também promover sua empresa de alguma maneira, mas ao mesmo tempo, algo em seu coração o alertou para não se juntar àquela disputa inconsequente.

Então, depois de meditar algum tempo fez como os outros dois e encomendou uma faixa, na qual mandou escrever: "O melhor pão da rua!"

terça-feira, 30 de novembro de 2010

O Tapete


Vídeo interessante e relevante, produzido pela Igreja Cristã Central de Las Vegas.

Fonte do vídeo: Youtube.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Rio, Cidade Dominada Não Somente Por Traficantes. Principalmente Por Usuários De Drogas.


90 toneladas de maconha. Quase 9 toneladas de cocaína. Mais de 4 toneladas de crack. Este é o consumo anual de drogas no Rio de Janeiro, segundo o estudo denominado "A Economia do Tráfico na Cidade do Rio de Janeiro: uma tentativa de calcular o valor do negócio", de Sergio Guimarães Ferreira e Luciana Velloso, da Sub-Secretaria de Estudos Econômicos da Secretaria da Fazenda do estado. O faturamento do trágico comércio de drogas no Rio de Janeiro é de no mínimo R$ 320 milhões anuais, mas pode chegar ao dobro disso, passando de R$ 600 milhões anuais.
Leia na íntegra aqui.

Somente na operação do Complexo do Alemão, foram apreendidas 40 toneladas de maconha. Corresponderia a quase 50% do consumo anual do Rio de Janeiro, segundo o estudo. Ao que parece, os números são bem maiores do que os estimados pelos autores.
Fonte: Coturno Noturno

A importância desta informação reside no óbvio fato de que se existem traficantes de drogas é porque existem consumidores de drogas, que repentinamente tiveram o acesso à ela cortado ou muito dificultado. E agora, qual será a reação desta imensa multidão de dependentes químicos? O que vai acontecer quando a pressão da abstinência tornar-se forte?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

E Foi Tarde E Manhã ...

"...e foi tarde e manhã...".

Por seis vezes esta simpática e um tanto enigmática expressão aparece no relato do capítulo primeiro de Gênesis, servindo de marcador para não nos perdermos na agenda da criação.

Por muito tempo fiquei a imaginar porque Deus inspirou o texto deste modo particular: tarde e depois manhã. Na minha limitadíssima capacidade de compreensão eu achava que o correto e mais natural seria falar "e foi manhã e tarde...", já que intuitivamente, entendemos que o dia começa com a manhã e termina com a a noite. Simples sem dúvida. Mas muito óbvio também.

Entendo agora que o propósito divino não foi apenas o de nos manter por dentro de Seu roteiro de trabalho, mas também o de compartilhar algo de Seu caráter. Devemos notar que, após cada declaração "e foi tarde e manhã" segue-se a enumeração do dia transcorrido.

Apesar de, na tradição judaica, o dia encerrar-se no fim de cada tarde (convencionalmente 18 horas), a narrativa de Gênesis toma a liberdade de mudar um pouco esta convenção, para estabelecer que o dia anterior estava "oficialmente" encerrado e que um novo se iniciava.

Acredito que a idéia que Deus quer nos passar é de que Ele não operou nada durante o turno da noite, ou em outras palavras: a tarde transformou-se em manhã e o dia de ontem foi encerrado.
É claro que "não operou nada" é relativo. O ser de Deus está sempre em continua atividade. Mas fica subentendido que a atividade criadora aconteceu apenas sob a luz do dia, exceto obviamente no primeiro dia, que é quando esta distinção foi estabelecida.

E o que Deus quer mostra-nos de Seu caráter com isto?

Jesus certa vez afirmou "Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar."(Jo.9:4). Quando Deus organizou o Universo para que a Terra experimentasse períodos de luz e de trevas foi para ensinar que a realidade era uma realidade dividida. Quando a Terra foi criada, certamente a rebelião de Lúcifer já tinha acontecido. Ele com seu anjos caídos já perambulava pelos céus, aguardando o momento de agir contra a Criação. Isto explica a iniciativa divina de estabelecer uma firme divisão entre luz e trevas (Gn.1:4).

Ou seja: Deus que nos mostrar que Ele não faz nada nas trevas. Toda Sua obra é às claras, na visibilidade, sem acobertamento. Não é para menos que um de Seus títulos é "Pai das Luzes" (Tg.1:17).

E é também digno de nota a declaração paulina: "Porque, todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas."(ITs.5:5).

Uma simples frase e quanta riqueza podemos extrair dela. A Bíblia é realmente o livro de Deus!

sábado, 20 de novembro de 2010

Sendo Luz


"Porque, noutro tempo, éreis trevas, mas, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (...)" - Ef.5:8.

Nestas palavras enfáticas, o Espírito Santo atravez de Paulo, nos informa qual é o estilo de vida que agrada à Deus e de como estamos comprometidos em vivê-lo diante dEle.

A comparação com a luz é bastante útil para nos orientar na prática cotidiana desta nova vida, de maneira que ela cause o impacto desejado por Deus.

Meditemos então um pouco sobre a luz e em como isto deve nos afetar como cristãos.

1.A luz é tão mais útil quanto mais alto estiver. Por isso que o Sol está a 150 milhões de quilometros da Terra. Por isso que se padronizou que as lâmpadas estejam fixadas no teto. Uma fonte luminosa deve sempre estar no alto. Jesus disse "Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus (Mt.5:20)". Ele também acrescentou: "Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa (Mt.5:15)". Fica evidente então que, a vida de um discípulo, deve ser vivida em um elevado padrão de conduta. Mas um padrão motivado não pela soberba ou presunção, mas pela convicção de que é este o compromisso que Deus merece de nossa parte.

2.A luz sempre vai gerar contraste. Diz o dito popular que "de noite todos os gatos são pardos", pois na sociedade mundana os valores são sempre mutáveis, indefinidos. Por isso o discípulo deve estar atento ao fato de que sua vida, suas atitudes, às vezes a sua mera presença física, vai produzir confrontos. Jesus disse "Porque, todo aquele que faz o mal aborrece a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus (Jo.3:20-21)". Ele sentiu na própria pele a oposição dos homens ao Seu modo de vida: "Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa (Jo.15:18-20)". O discípulo de Cristo deve saber isto: ele vai ser discriminado, resistido, afrontado e, talvez, ofendido. E tal vai acontecer apenas por que sua vida vai colocar os pecados dos outros sob a luz de Deus. Na natureza há seres que fogem da luz e outros que se aproximam dela. No mundo espiritual é a mesma coisa: algumas pessoas vão evitar o discípulo, mas outras (glória à Deus por isso!) vão se aproximar buscando a luz de Jesus (Jo.1:9).

3.Uma luz acesa implica em algo sendo consumido para mantê-la. De acordo com os físicos, a cada segundo 5 milhões de toneladas da massa do Sol são transformadas em energia. Dentro de uma lâmpada, um minúsculo filamento está sendo lentamente queimado. Igualmente uma vela, consome lentamente seu pavio. Assim o discípulado autêntico vai implicar no consumo da vida do discípulo em favor de Cristo e de Seu reino. Paulo viveu e entendeu esta realidade: "de muito boa vontade, gastarei, e me deixarei gastar, pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado ( II Co.12:15)". Jesus, na oração sacerdotal, revela qual foi a intenção profunda de Seu coração: "E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade (Jo.17:19)". Ser luz para Deus significa deixar-se ser consumido por Deus. Paulo, no seu ministério, experimentou situações nas quais sua vida esteve por um fio (II Co.12:16-33) e Jesus explicou que Ele tinha vindo para dar sua vida em favor de muitos (Mc.10:45). No discipulado não existe "luz fria", mas apenas a luz mantida pelo fogo e pelo calor do amor de Deus pelos homens. No evangelho de Mateus, capítulo 25, lemos a belíssima parábola das dez virgens. Apenas cinco delas tinham óleo suficiente para manterem suas lâmpada acesas. E nós: temos o suficiente do Espírito para "ardemos" por Deus?

domingo, 14 de novembro de 2010

Amazon.com Estimula Pedofilia

A empresa Amazon, maior site de varejo do mundo, retirou de seu site o livro “O Guia do Pedófilo para o Amor e o Prazer: um Código de Conduta para os Amantes das Crianças“. O motivo da retirada do livro foi a ameaça de boicote por parte dos consumidores e usuários do site à empresa. É estarrecedor este tipo de notícia.

Diante da uma atitude abominável como esta, a Amazon deveria ser bombardeada de críticas e ser monitorada a todo tempo pelos órgãos americanos e internacionais que combatem a pedofilia.

NOTA ZERO para a empresa que deve, a partir de agora, ser olhada com outros olhos.

Leia a matéria completa em O Globo.

Fonte: Holofote.net

sábado, 6 de novembro de 2010

Um Pai E Seus Dois Filhos

Lucas 15, versos 11 a 32, nos contam a clássica estoria do filho pródigo, um dos trechos mais populares da Bíblia.
Porém o título pelo qual a narrativa ficou conhecida, muitas vezes estreita a visão do todo, tirando a percepção de que ela envolve não apenas o irmão mais moço, mas também o irmão mais velho e o pai. E é a interação destes três personagens que gera o clima cativante da narrativa, rica em nuances psicológicos.

Quero apenas compartilhar algo que recebi como fruto de alguns dias de meditação no texto.

O que temos são dois filhos, muito diferentes nas atitudes, mas muito semelhantes na visão distorcida acerca do pai.

Ambos os irmãos viam o pai como um tirano insensível. Por isso que...
1.O filho mais novo quis buscar a felicidade longe do pai - vs.13
2.O filho mais velho não conseguia usufruir do amor e amizade do pai ali mesmo - Vs.28
3.O filho mais novo mesmo arrependido não conseguia ver-se como filho - vs.19
4.O filho mais velho via a si mesmo como um filho de segunda classe - vs.29

Ambos viam um ao outro como um rival na disputa pelo que o pai tinha. Por isso que...
1.O filho mais novo tratou logo de pegar o que julgava ser seu - vs.12
2.O filho mais velho ressentia-se porque o pai "não via o seu valor" - vs.30

Ambos não conheciam realmente o caráter do pai que tinham. Por isso que...
1.O filho mais novo foi confrontado pelo perdão do pai - vs.24
2.O filho mais velho foi confrontado pela bondade do pai - vs.32
3.O filho mais novo descobriu a graça de uma segunda chance - vs.22
4.O filho mais velho descobriu os benefícios da fidelidade - vs.31.

Em tempos como o nosso, em que o valor da família vai sendo mais e mais depreciado, temos na Bíblia uma narrativa que ilustra de maneira contundente o amor divino, que apesar de nosso comportamento rebelde e enfermo, continua a nos amar, continua desejoso de nos dar um beijo de boas vindas, com túnica, sandálias e anel novos.

Voltemos para a casa do Pai.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mulher, Que Tenho Eu Contigo?

Nós conhecemos o texto:

"E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galileia: e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus, e os seus discípulos, para as bodas. E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas, até cima. E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom, e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. Jesus principiou assim os seus sinais, em Caná da Galileia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele. Depois disto, desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos, e ficaram ali não muitos dias."
(Jo.2:1-12)

Um casamento era sempre uma ocasião prestigiosa na sociedade judaica, pois nele muitos dos valores éticos que aquele povo cultivava, ganhavam substância e continuidade: a pureza dos noivos, a união de duas tribos ou clãs, a fundação de uma nova família, os filhos que viriam para continuar a herança... . Por isso, uma festa de casamento não podia ser maculada por alguma circunstância triste. Era um evento planejado, aguardado e executado com muito empenho. E assim era porque Deus planejou para que fosse exatamente uma ocasião festiva, na qual Ele mesmo poderia ser visto simbólica e proféticamente como o verdadeiro noivo/marido da nação de Israel, com a qual havia estabelecido uma aliança de amor e aceitação. E nesta festa em especial Ele mesmo, Iahweh, se fazia presente na pessoa de Seu Filho, Yeshua.

Este contexto cultural e circunstancial, ajuda a entender o porque da reação tão brusca de Yeshua para com sua mãe, pois ela involuntárimente agiu como uma porta-voz do Adversário, trazendo uma atmosfera de tristeza e fracasso àquela festa.

Talvez a família do noivo, que geralmente era a responsável pela cerimônia, fosse modesta, sem grandes recursos e que por isso só pode providenciar uma pequena quantidade de vinho. Yeshua, atento a isto decidiu não deixar que um momento tão importante para os dois jovens e para a aquela comunidade fosse prejudicado por um detalhe menor. Ai está a razão de sua gentil repreensão à sua mãe: "Mulher, Que Tenho Eu Contigo?", ou "Porque você vem falar de fracasso e tristeza?". E Yeshua complementa: "Ainda não é chegada a minha hora.".

Esta expressão aparece outras 6 vezes neste evangelho (7:30; 8:20; 12:23; 12:27; 13:1; 17:1), o deixando bem claro que Yeshua estava se referindo à sua morte sacrificial, ao momento em que sobre sua alma seriam jogados todos os pecados dos homens. Apenas então, é que ele se submeteria à dor e ao sofrimento. Mas não agora!

Agora havia uma festa, e uma festa de casamento. Um dos grandes propósitos do Criador para a humanidade estava sendo concretizado. Um rapaz e uma moça estavam tomando posse de grandes promessas para sua jovens vidas. Duas famílias estavam sendo abençoadas com a continuidade de suas linhagens. E o Pai estava sendo honrado. O que poderia ser mais importante agora?

"Não Maria, não é hora de tristeza nem de perda, mas sim de alegria, de celebração, de geração, de multiplicação. A hora virá em que eu terei tristeza, mas não agora! Não hoje!"

Felizmente, Maria entendeu rapidamente e mudou sua atitude. Pela fé ela entendeu que algo grande iria acontecer e instruiu os servos presentes.

Nós igualmente precisamos discernir os tempos do Senhor em nossas vidas. Haverão dias de tristeza, de perda e até de derrotas. Quando vierem, pediremos graça e fortalecimento ao Senhor.

Mas agora, se o tempo é de alegria, não fujamos dela devido a algum contratempo menor, a alguma circunstância momentânea, ou então o Senhor se verá obrigado a nos dizer "que tenho eu contigo?"

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

HIV Está Fora De Controle Entre Gays Franceses

LONDRES (Reuters) – A transmissão do vírus da Aids parece estar “fora do controle” entre os homens homossexuais na França, apesar da queda generalizada no número de novos casos de HIV no país, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira.

Cientistas do Instituto Nacional para a Vigilância em Saúde Pública afirmaram que quase metade das 7 mil pessoas recém infectadas com o HIV no país em 2008 é de homens homossexuais, e a incidência entre esses é 200 vezes maior do que entre heterossexuais.

Especialistas disseram que os resultados mostraram que as autoridades francesas precisavam rever e renovar estratégias de prevenção e garantir que focassem os grupos de maior risco de infecção.

O vírus da imunodeficiência humana que causa a Aids infecta 33,4 milhões de pessoas no mundo. Na África subsaariana, 22,4 milhões de pessoas têm a doença, e no Leste Europeu é onde a epidemia cresce mais rapidamente na atualidade.

O estudo também mostrou que o HIV na França caiu significativamente de 8.930 novas infecções, em 2003, para 6.940 em 2008.

Mas o número de novas infecções entre homens homossexuais ficou estável, apesar da queda em outros grupos, e respondeu por 48 por centos dos novos casos na França em 2008.

A AIDS é uma doença gay. O sexo anal é uma prática tipicamente homossexual. A incidência monstruosa de AIDS entre gays demonstra que a supressão da noção de “grupo de risco”, especialmente na mídia, foi uma decisão política no intuito de simplesmente evitar a discriminação a esses grupos. Por isso, penso que o homossexualismo, muito longe de ser tratado como um direito humano – o que é absurdo – deveria ser tratado como uma imoralidade e um problema de saúde pública. O fato é que a AIDS era uma doença gay, permanece sendo e sempre será.

Fonte: Darwinismo , Reuters

terça-feira, 12 de outubro de 2010

China Obrigada A Implantar A Educação Sexual Cristã Ante O Fracasso Das Suas Políticas

jovens_chineses.jpg

Escolas e universidades na província chinesa de Yunnan vão ensinar aos alunos o valor da castidade usando material preparado pela Associação Evangélica de sucesso americana "Focus on the Family".

Conforme relatado pelo jornal Global Times, o órgão em Inglês do Partido, o método promovido pela associação cristã de sucesso foi definido pelo Departamento de Educação da província de Yunnan como "ferramenta de educação sexual."

O professor do centro de aconselhamento da Universidade de Yunnan, Wanqiu Yang salientou a importância dos jovens rejeitarem o sexo antes do casamento.

"Se uma moça tem relações sexuais com um rapaz, ela pode tornar-se dependente dele mentalmente", disse Yang, acrescentando que "não seria bom para os seus estudos e vida quotidiana." "Se o rapaz diz: "Ok, eu tenho um preservativo", a menina pode responder: "Você quer que eu ponha nas mãos desse preservativo o meu futuro?", diz um dos panfletos usados no ensino superior desta campanha de educação.

Os últimos dados nacionais sobre as relações sexuais antes do casamento mantidas pelos alunos reunidos em Abril passado indicaram que 14,4% dos 80.000 estudantes pesquisados já haviam feito sexo antes do casamento e 70% expressaram uma atitude tolerante sobre o assunto.

Diversos meios informam que na China se realizam cerca de 13 milhões de abortos por ano. Este valor, que ultrapassa a metade dos 20 milhões de nascimentos registados anualmente, pode ser ainda maior porque muitos acontecem em clínicas ilegais.

Segundo estatísticas oficiais, 62% das mulheres que têm abortos são moças solteiras entre 20 e 29 anos. Desde a introdução da política de filho único no final dos anos 70, o regime de Pequim tem sido particularmente propenso a abortos, que custam apenas 70 euros, e às amplamente comercializadas "pílulas do dia seguinte."

O director do Comité de Empresa Disciplinar do Departamento de Educação Provincial de Yunnan, Gonghe Yang, disse ao Global Times que este método poderá ser introduzido em outras províncias chinesas.

O material do "Focus on the Family", inclui aulas sobre o sistema reprodutivo humano e como prevenir a AIDS.

Fonte: Igreja em Quinta do Conde

sábado, 9 de outubro de 2010

Horripilante: Aborteiros Apanhados Com Bebés Abortados No Congelador

A polícia fez uma busca aos estabelecimentos de dois médicos aborteiros de Maryland e encontrou dúzias de bebés não nascidos em congeladores.

As autoridades médicas de Maryland suspenderam as licenças dos dois “médicos” e ordenou que eles parassem de exercer Medicina no Estado. (WJZ)

O National Catholic Register reportou:

Dois aborteiros de Maryland (Dr. Steven Brigham e Dr. Nicola Riley) foram ordenados a parar de executar abortos em Maryland depois de uma mulher ter sido severamente ferida.

Subsequentemente, a polícia fez uma busca às instalações a procura de registros médicos e, para seu horror, descobriram dúzias de bebés não nascidos guardados no congelador.

Depois do choque e dos sentimentos de repugna, a minha mente recuou alguns meses até um incidente que ocorreu por essa altura.

Isto seria uma história estranha e horrível se nunca tivesse ocorrido no passado, mas a alguns meses outro aborcionista (desta vez, em Filadélfia) foi apanhado com bebés abortados guardados em jarros.

As instalações do aborteiro Kermit Gosnell foram sujeitas a uma busca no princípio deste ano, e o que se verificou lá é que as condições de higiene eram “deploráveis”.

Mas eu pensava que legalizando o aborto, todas as mulheres teriam condições “excelentes” para matar os seus filhos, mas pelos vistos não foi isso que aconteceu.. Mesmo com o aborto legalizado, os abortos em condições bárbaras continuam. Parece que esse argumento era – como sempre acontece – falso.

As autoridades reportaram que “havia sangue no chão e partes do corpo de fetos abortados estavam dispostos em jarras“.

Quando Deus é Removido da vida pública, quem sofre com isso são os mais frágeis da sociedade.

Obrigado feministas! A vossa cultura de morte está a reduzir o valor dum ser humano para o nível dum coelho, um rato ou um outro animal “digno” de ser exposto numa jarra.

Que Deus tenha misericórdia de todos nós, especialmente de todos aqueles que não só oferecem os seus filhos para o sacrifício humano, como também daqueles que tem prazer na morte de inocentes.


"Se um óvulo fertilizado não é em sí mesmo um humano, jamais poderá vir a ser um, pois nada mais será acrescentado."

"É preciso dizer as coisas com clareza, mede-se a qualidade duma civilização pelo respeito que ela tem pelos seus membros mais frágeis. Não há outros critérios de julgamento."

Jérôme Lejeune, geneticista, descobridor da Síndrome de Down.

Pode-se perguntar qual é a relação entre o aborto e o debate “evolução versus criação”, mas acho que é bem claro. A crença de que se pode remover o bebé de dentro do útero humano e deitá-lo fora como um pedaço de carne é uma das consequências da rejeição do Deus Criador.

Se as pessoas pensam que não são o resultado do Poder criativo de Deus, mas sim uma forma de vida que, por acaso, conseguiu sobreviver ao longo dos milhões de anos, então o aborto é perfeitamente aceitável.

Quem não aceita o que Deus diz na Bíblia, e o valor que Deus confere ao ser humano desde o momento da concepção, é mais susceptível de estar de acordo com o aborto do que aquele que aceita a Bíblia como a Palavra de Deus.

Não é por acaso que alguns dos países com incidência elevada de aborto são países que foram dominados pela ideologia ateísta com o nome de comunismo durante muitos anos.


"Pois possuíste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu Te louvarei,
porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não Te foram encobertos, quando, no oculto, fui formado e entretecido, como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no Teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais iam sendo, dia a dia, formadas, quando nem ainda uma delas havia."

Salmo 139:13-16

Fonte: WJZ e Darwinismo.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mosca Da Fruta: Cem Anos De Tortura E Nenhuma Evolução

22 de Julho de 2010 marcou o centésimo aniversário das pesquisas genéticas usando as moscas da fruta. O primeiro estudo desse tipo foi publicado na revista Science em 1910 e descreveu a aparição inesperada de uma mosca da fruta macho com olhos brancos após gerações de moscas com olhos pigmentados. Isso inaugurou um século de estudos que se concentraram nas mutações das moscas da fruta.

Mas o que realmente se aprendeu com tudo isso? Na maior parte do século passado – e especialmente desde a descoberta do DNA como molécula que carrega informações físicas hereditárias –, as mutações foram o conceito dominante da evolução neodarwinista tido como o gerador central de informações novas e úteis. Assim, as mutações, se fossem selecionadas naturalmente, teriam o poder de conduzir a evolução de todas as coisas vivas na direção da melhoria positiva.

As moscas da fruta, com seu tempo curto de uma geração a outra e apenas quatro pares de cromossomos, representaram excelente campo de testes para a evolução. Em laboratórios de todo o mundo, elas foram submetidas a todo tipo de mutação, induzindo fenômenos, incluindo produtos químicos e tratamentos de radiação, para tentar acelerar as mutações na tentativa de “imitar a evolução”. Depois de tudo isso, era de se esperar que as moscas da fruta de fato exemplificassem a evolução. Mas eles não fizeram isso.

Assim, não tendo conseguido a progressão evolutiva em moscas da fruta por esses meios aleatórios, os pesquisadores mudaram o foco de inúmeras pesquisas para a manipulação intencional dos genes. As mais populares, a partir de uma perspectiva evolucionista, foram as experiências com os genes chamados HOX.

HOX (uma abreviação de Homeobox) são genes utilizados pelo organismo durante o desenvolvimento embrionário. Muitos argumentaram que seria mais simples para a evolução operar através da mutação desses genes, uma vez que uma pequena alteração pode produzir grande efeito no corpo da mosca.

No entanto, isso foi antes de os estudos recentes mostrarem que o desenvolvimento embrionário é mais influenciado pelo DNA regulador, e não por genes. E mutações (através da substituição, exclusão ou duplicação) de genes de desenvolvimento como o HOX sempre resultaram apenas em moscas mortas, moscas normais (se a mutação aconteceu sem ter nenhum efeito notável) ou em pequenos monstros. Nenhum desses resultados corresponde à melhoria “positiva” esperada da evolução darwiniana.

Segmentos corporais extras, um conjunto extra de asas ou pernas no lugar das antenas caracterizam as formas estranhas que foram geradas. Três gerações de alterações específicas no DNA produziram moscas com quatro asas – mas elas não conseguiram voar. As asas extras não tinham músculos e representaram peso morto.

Stephen Meyer conclui:

“Moscas mutantes que produzem quatro asas sobrevivem hoje apenas em um ambiente cuidadosamente controlado e somente quando pesquisadores qualificados meticulosamente orientam seus estudos por meio de um estágio não-funcional após o outro. Essa experiência cuidadosamente controlada não nos diz muito sobre o que mutações não direcionais podem produzir na natureza” (Stephen C. Meyer, Explore Evolution: The Arguments for and Against Neo-Darwinism, p. 105).

Em seu livro Evolution, Colin Patterson resumiu a esperança perdida de encontrar a evolução nas pesquisas com o HOX:

Os efeitos espectaculares das mutações do gene homeobox foram vistos pela primeira vez na Drosophila, no início da história da genética. Portadoras de algumas dessas mutações com certeza podem ser qualificadas como monstros – embora sem muita esperança (Colin Patterson, Evolution, p. 114).

Considerando que os estudos com as moscas da fruta têm fornecido informações importantes sobre como genes, nervos, longevidade e outras máquinas e processos biológicos funcionam, nenhum progresso foi feito na tentativa de acelerar a evolução desses insetos por mutações. Os sobreviventes dos cem anos de torturas em laboratório ainda são apenas moscas.

Fonte: ICR e Darwinismo

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Destruindo O Mito De Que As Religiões São As Maiores Responsáveis Pelas Guerras

No seu livro “The Irrational Atheist” Theodore Beale (também conhecido por Vox Day) demoliu o mito ateu de que a religião causa guerras.

Tendo como referências as mais variadas fontes, incluindo a “Encyclopaedia of Wars” compilada por C. Phillips e A. Axelrod, Vox Day examina 1.763 guerras levadas a cabo desde 2.325 antes de Cristo até aos tempos modernos.

De todas estas guerras apenas 123, ou 6,98%, podem ser razoavelmente atribuídas às religiões. Como mais de metade destas guerras religiosas – 66 – foram levadas a cabo por Muçulmanos, isto significa que, com a excepção do Islão, as religiões do mundo foram responsáveis por 3,23% de todas as guerras durante mais de 4.000 anos.

Portanto, de acordo com Vox Day, “as evidências históricas são conclusivas. A religião não é a causa primária das guerras“. Esta percentagem inclui, as infames Cruzadas.

Embora elas provavelmente se mantenham como o modelo da guerra santa Cristã, a razão pela qual ela já não está na linha da frente dos ataques ateus é a de estar a ficar cada vez mais difícil agitar um dedo acusador às acções de homens que se depararam com o desafio de resistir a expansão de uma militante “Ummah” (comunidade muçulmana) nas suas fronteiras.

Vox Day vira então o argumento contra os ateus. Ele mostra que o “Grande Salto em Frente” e o Holocausto, causados por um regime ateu e outro pagão-ateu, resultaram no genocídio de 43 e 6 milhões respectivamente, enquanto que a Inquisição Espanhola causou a morte a 3.230 pessoas durante um período de três séculos e meio.

Não só isso, mas num único ano (1936) ateus espanhóis mataram 6.832 membros do clero Católico, “mais do dobro das vítimas da Inquisição durante 345 anos.”

Num único ano os ateus conseguiram superar – e dobrar – o número de mortes causado pelo mais horrífica matança feita por “cristãos”.

Em suma, Vox Day revela que 52 líderes ateus do século 20 – entre 1917 a 2007 – foram responsáveis por uma contagem de corpos na ordem dos 148 milhões – “três vezes mais do que todos os seres humanos mortos em guerras nacionais, guerras civis e crime individual durante todo o século vinte combinado.”

Conclusão:

O registo histórico do ateísmo colectivo é 182.716 vezes pior anualmente do que o pior e mais famoso acto negativo cristão, a Inquisição Espanhola.

Não esperem que a pesquisa do Theodore Beale (Vox Day) seja aludida pelos órgãos de (des)informação esquerdistas.

Fonte: Darwinismo

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Ricardo Gondim: Controverso, Eu?

"Não me considero um polemista, embora reconheça a minha insistência em questionar, embora saiba que vez por outra peso nas tintas ao criticar, embora consciente do meu atrevimento por tentar derrubar vacas sagradas de seus pedestais teológicos. Um tanto de gente me escreve perguntando sobre boatos que se espalham por corredores virtuais me acusando de perigoso. Sinceramente, não me acho uma ameaça (sem bem que Hitler também não se achava!).

Vou tentar explicar pela enésima vez porque disse que estava de saída do movimento evangélico. Na verdade, minha igreja pretende ser evangélica, isto é, ser uma comunidade leal ao Evangelho. Já não me identifico com o que se tornou o "movimento evangélico" enquanto fenômeno social. Enumero minhas explicações para que fique mais didático:

1. Por razões éticas

Não consigo acertar o passo com os escândalos que sacodem quase semanalmente o movimento evangélico. Na minha opinião, um claro sinal da septcemia moral que o devasta. Alguém diria: “Esses escândalos representam apenas uma pequena parcela do movimento e os demais não podem ser responsabilizados”. Ora, ora, se os desmandos do neopentecostalismo não representam o todo, então porque os evangélicos se valem do crescimento das mega-igrejas, dos ministérios televisivos, para impressionar com as estatísticas do IBGE? Se há necessidade de separar quem é quem, então que profetas se levantem e denunciem o circo vergonhoso que se tornou a pretensa “pregação do evangelho” que não passa de uma neurolinguística fajuta.

2. Por razões teológicas -

Milagres a granel são prometidos indiscriminadamente pelas igrejas. O movimento evangélico virou um movimento antropocêntrico. Deus foi reduzido a um poderoso consertador de problemas, a um super-gênio da lâmpada que cumpre desejos, a um magnífico Papai Noel que dá o que se pede. Oração se transformou em técnica de manipular o divino; obediência, um jeito de desobstruir os dutos por onde correm as bênçãos; e fé, uma força que arrasta o coração de Deus na direção dos humanos, sempre miseráveis.

Na verdade, se me perguntarem se concordo com um mundo engrenado pela Providência que faz com que todos os nano eventos do universo tenham a tutela de Deus, responderei que não. Se me perguntarem se creio que crianças já nascem pecaminosas e “filhas da ira”de Deus, repetirei que não. Enfim, eu jamais passaria nas provas de catecúmenos da maioria das igrejas evangélicas.

3. Por razões existenciais -

Por anos, corri, corri, sobre a plataforma evangélica de salvar almas, de garantir o céu para os pecadores danados. Quando vi que a fronteira da velhice se avizinhava, descobri que as pessoas que haviam carimbado o passaporte para a vida eterna eram malvadas, iracundas, traiçoeiras, ingratas, mais amantes de suas doutrinas do que do próximo. Eu tinha distribuído salvo conduto que dava entrada para as ruas de ouro do Paraíso, mas fracassara em ajudar homens a honrarem as calças que vestiam.

Recentemente, pregando em Natal, Rio Grande do Norte, perguntei a um pastor anglicano sobre o estado das igrejas ali. Ele respondeu que igrejas evangélicas sérias estavam em crise. Repliquei de imediato: - Não, amigo, as igrejas sérias não estão em crise, mas navegando na contracorrente.

Sei que a versão dos maldosos colou em mim; fiquei com o estigma de mal-resolvido, polêmico e até de herege. No passado, isso me inquietava, mas depois que muitas águas correram sob a ponte, conscientizei-me de que devo continuar tentando abrir picada onde não há trilha sem importar-me com a opinião dos guardiões da reta doutrina.

Se a busca inquieta por novos ares for controverso, sou controverso. Se não aceitar andar no passo da manada for controverso, eu sou controverso. Se desejar cuidar pastoralmente de famílias com filhos com paralisia cerebral, sem repetir chavões, for controverso, eu sou controverso. Se recusar a aceitar que a miséria de bilhões, que dormem com fome todas as noites, representa o controle de Deus sobre a história for controverso, então eu sou controverso.

Cambaleante, continuarei. Sob artilharia pesada, escreverei. Espicaçado por eruditos, seguirei. Esta é minha vocação, é minha sina, é meu destino. Comecei, agora vou até o fim.

Soli Deo Gloria"

Fonte: ricardogondim.com.br

terça-feira, 6 de julho de 2010

O LENÇO DOBRADO

"Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro, e viu no chão os lençóis, e que o lenço, que tinha estado sobre a sua cabeça, não estava com os lençóis, mas enrolado num lugar à parte." - Jo.20:6-7

"Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição?
Eu nunca havia detido minha atenção a esse detalhe.

João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus, não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra.
Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara {João} e disse ela: "Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram."

Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis, mas ele não entrou. Então Simão Pedro chegou e entrou. Ele também notou os lençóis ali deixados, enquanto o lenço que cobrira a face de Jesus estava dobrado e colocado em um lado.

Isto é importante? Definitivamente.
Isto é significante? Sim.

Para poder entender a significância do lenço dobrado, você tem que entender um pouco a respeito da tradição Hebraica daquela época.
O lenço dobrado tem que a ver com o Amo e o Servo; e todo menino Judeu conhecia a tradição. Quando o Servo colocava a mesa de jantar para o seu Amo, ele buscava ter certeza em fazê-lo exatamente da maneira que seu Amo queria. A mesa era colocada perfeitamente e o Servo esperaria fora da visão do Amo até que o mesmo terminasse a refeição. O Servo não se atreveria nunca tocar a mesa antes que o Amo tivesse terminado a refeição.

Se o Amo tivesse terminado a refeição, ele se levantaria, limparia seus dedos, sua boca e limparia sua barba e embolaria seu lenço e o jogaria sobre a mesa. Naquele tempo o lenço embolado queria dizer: "Eu terminei". Se o Amo se levantasse e deixasse o lenço dobrado ao lado do prato, o Servo não ousaria em tocar a mesa porque o lenço dobrado queria dizer: "Eu voltarei!"
Ele está voltando! O recado nos foi dado claramente!

Oro para que você seja abençoado com a paz e a alegria em saber que Ele está voltando e isso pode ser muito breve."

Autor desconhecido.

domingo, 4 de julho de 2010

Dois Pesos, Duas Medidas: Para Os Mulçumanos Respeito, Aos Cristãos O Desprezo

"Um recém-formado grupo de conservadores e líderes religiosos anunciou nesta quinta-feira (03/07) que vai pedir aos anunciantes absterem-se de gastar dinheiro com a proposta de fazer Comedy Central "JC" - um programa de animação que retratam Jesus Cristo como querendo "fugir da sombra do pai famoso e viver a vida em Nova York como um cara normal." Numa conferência de imprensa quinta-feira, o grupo, que se chama Cidadãos Contra Intolerância Religiosa (CARB), trouxe conservadores católicos, protestantes e judeus ortodoxos em conjunto para notificar sobre um show que, eles dizem, dá todos os indícios de ser um "retrato" vil de Cristo . L. Brent Bozell III, presidente do Media Research Center, disse ainda que o show não está em produção, no entanto, Comedy Central tem uma longa história de shows, como "South Park", que têm escarnecido e ridicularizado cristianismo. "Este é um desenho animado projetado para zombar e para ridicularizar e para ser ofensivo aos cristãos", disse Bozell. "Neste momento, dizemos basta. Sabemos que eles (os produtores do show) estão pulando de alegria, sentindo que eles estão recebendo todos os tipos de publicidade por causa de nossos esforços. Por outro lado, não vamos ficar em silêncio sobre isso." Michael Medved, apresentador de um rádio talk-show, juntou-se ao ataque, criticando o Comedy Central pelo emprego de um duplo padrão, dizendo que a rede tinha parado de, no "South Park", retratar o profeta Maomé em uma roupa de urso porque os muçulmanos ameaçaram uma ação drástica."

O Ocidente foi tomado de um clima de mornidão e lassidão. O vigor moral, fruto de convicções religiosas de gerações, dissolveu-se em uma pluralidade social e em uma tolerância perniciosa, que iguala comportamentos imorais a manifestações culturais. A coragem dada ao Ocidente pelo cristianismo transformou-se em uma abjeta covardia diante das ameaças vindas dos neopagãos, dos naturalistas, dos libertinos e do islamismo em particular. Políticos que chegam ao poder atravez da boa vontade de eleitores majoritariamente de confissão cristã, são os principais responsáveis por esta virada, aproveitando-se do fato de que o cristianismo é basicamente tolerante. Os grupos evangélicos que se unem e apoiam candidatos que, eventualmente vêm a vencer eleições, não ameaçam fisicamente os mesmos caso estes adotem posicionamentos contrários ao que prometeram em campanha. Tudo o que resta a tais grupos é emitirem notas de repúdio e esperar melhor sorte da próxima vez.

E assim nossa "cultura cristã" vai lentamente sendo engolida pela maré reformista dos inimigos do cristianismo.

Texto original da notícia em: http://cnsnews.com/news/article/67054

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O Evangelho Bipolar


É fato: a bipolaridade da igreja atual está atingindo proporções absurdas!

Não é difícil encontrar alguém que parece que ganhou uma copa do mundo durante o culto e ver esta mesma pessoa com cara de quem nunca venceu na vida logo que o culto termina. É só o pastor apitar o fim da partida, que o jogador se rende. É só soar o gongo e o triunfante lutador se torna apenas mais um perdedor, jogado na lona, nocauteado pela realidade crua que o envolve.

Acostumamos a ensinar nossos irmãos que tudo acabará bem, que a vitória vai chegar, que nada de mau vai nos acontecer, que a vida nos guarda o melhor, que o que realmente importa é o triunfo, etc. Mas esquecemos de mostrar a eles as dificuldades do caminho. Nos esquecemos de avisá-los de que espinhos são naturais e que o caminho é estreito demais para passarmos por ele sem nos machucarmos.

O resultado deste nosso lapso de memória? Somos bipolares. Se em um momento estamos no culto adorando a Deus com um grande sorriso nos lábios, cantando alegres; no outro estamos em casa chorando deprimidos por quê um parente ainda está se drogando, se prostituindo ou adulterando. Por duas horas nós ouvimos mensagens de auto-ajuda vindas dos púlpitos, mas no momento seguinte vemos que aquelas palavras não nos alimentaram o suficiente para passarmos ilesos pelo vale da sombra e da morte.

O Evangelho Bipolar que é pregado pelos grandes líderes também me assusta demais. Em um momento, nos ensinam a "virar a outra face" quando somos ofendidos; no outro, são adeptos vorazes do "olho por olho, dente por dente". Em um domingo, nos falam que não podemos nos conformar com este mundo; e no mesmo dia, cruzam os braços ao ver a indiferença estampada nas ruas da cidade.

Entre louvores eufóricos e meditações deprimentes, eu prefiro a mensagem do Reino, a qual me diz que tanto a alegria quanto a dor devem ser compartilhadas entre irmãos, e que me ensina que o mais importante não é esbanjar vitórias e conquistas, mas reconhecer que o caminho é apenas um, sem distúrbios bipolares.

Aquele que desceu do céu, se fez pobres como nós, e não preferiu as riquezas da vida - é Ele e apenas ELE, o caminho que devemos seguir.

Fonte: T-7 Blog