segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A aposta de Pascal ao contrário

"Provavelmente Deus não existe. Então pare de se preocupar e aproveite a vida."
Com este "brilhante" raciocínio, a Fundação Humanista Britânica deseja incentivar os ateus enrustidos a "sairem do armário" e a manifestarem livre e publicamente suas convicções (ou a falta delas). O curioso é que o mote da campanha usa um recurso que foi tornado famoso por um grande filósofo teista do sec.XVII, Blaise Pascal, que em sua reflexões acerca de Deus, propôs um raciocínio que ficou conhecido como "aposta de Pascal", e que em linha gerais diz:

Se você crê em Deus e nas Escrituras e estiver certo, será beneficiado com a ida ao paraíso.
Se você crê em Deus e nas Escrituras e estiver errado, não terá perdido nada.
Se você não crê em Deus e nas Escrituras e estiver certo, não terá perdido nada.
Se você não crê em Deus e nas Escrituras e estiver errado, você irá para o fogo eterno.


Como qualquer jogador deve saber, quando mais alta a aposta, maior o ganho ou a perda. Os ateus ingleses estão apostando que, aqueles que crêm em Deus, estão perdendo a chance de viverem plenamente. A solução então é assumir que "provavelmente Deus não existe". É de se admirar que os promotores desta campanha resistiram a tentação de fazerem a frase "Com certeza Deus não existe...(etc, etc). Ao invéz colocaram tudo na esfera de uma possibilidade, talvez por acharem que uma abordagem menos radical seria mais aceita pelo público em geral.

E, além da questão envolvendo a aposta, há a segunda parte da proposta, a de que temos que descartar qualquer fé religiosa para vivermos plenamente. Nisto, os ateus ingleses demonstram ser bastante cínicos, ou pelo menos muito mal informados, já que várias pesquisas recentes indicam que as pessoas que mantêm algum tipo de espiritualidade, desfrutam de uma qualidade de vida acima da média. O oposto é que parecer ser verdadeiro: o crescimento do secularismo e a retração da religião, principalmente em centros urbanos, é que tem produzido uma sensível degradação da sociedade.

Em suma: esta campanha é pretenciosa, já que identificar-se como ateu há muito não é escândalo; é anti-científica, já que os ateus não apresentam nenhuma evidência em prol de sua proposta de vida; é perversa, já que coloca o destino das pessoas na dependência de uma probabilidade e, finalmente, é hipócrita, pois querem que as pessoas optem pela fé, já que não têm certeza alguma para oferecer.

Blaise Pascal pelo menos teve a honra de fazer a aposta certa.

3 comentários:

adrian disse...

soy de españa me gusta tu blog yo tengo otro metete a ver si te parece bonito y vota en la encuesta
http://adrianpeinado-1995.blogspot.com

Daniel e Jack disse...

Boa Noite Pastor!!

Glória a Deus pelo seu Blog.. Achei ele bem legal... Que o Senhor Abençoe toda sua família...

Um Abraço

Daniel e Jack

Ciro Junior. disse...

Pastor, infelizmente seus argumentos são meramente falaciosos sem prova alguma. "já que os ateus não apresentam nenhuma evidência em prol de sua proposta de vida". Famosa falácia da inversão do ônus da prova, como também não é cientificamente possível provar a não existência de algo, por exemplo: o senhor consegue me provar que o saci pererê não existe? Não! Então esse papo de "não apresentar nenhuma evidência em prol de sua proposta de vida" é papo furado. "é perversa, já que coloca o destino das pessoas na dependência de uma probabilidade", E o que Pascal fez, o que foi? Dispensa mais comentários.

Abraço