segunda-feira, 22 de novembro de 2010

E Foi Tarde E Manhã ...

"...e foi tarde e manhã...".

Por seis vezes esta simpática e um tanto enigmática expressão aparece no relato do capítulo primeiro de Gênesis, servindo de marcador para não nos perdermos na agenda da criação.

Por muito tempo fiquei a imaginar porque Deus inspirou o texto deste modo particular: tarde e depois manhã. Na minha limitadíssima capacidade de compreensão eu achava que o correto e mais natural seria falar "e foi manhã e tarde...", já que intuitivamente, entendemos que o dia começa com a manhã e termina com a a noite. Simples sem dúvida. Mas muito óbvio também.

Entendo agora que o propósito divino não foi apenas o de nos manter por dentro de Seu roteiro de trabalho, mas também o de compartilhar algo de Seu caráter. Devemos notar que, após cada declaração "e foi tarde e manhã" segue-se a enumeração do dia transcorrido.

Apesar de, na tradição judaica, o dia encerrar-se no fim de cada tarde (convencionalmente 18 horas), a narrativa de Gênesis toma a liberdade de mudar um pouco esta convenção, para estabelecer que o dia anterior estava "oficialmente" encerrado e que um novo se iniciava.

Acredito que a idéia que Deus quer nos passar é de que Ele não operou nada durante o turno da noite, ou em outras palavras: a tarde transformou-se em manhã e o dia de ontem foi encerrado.
É claro que "não operou nada" é relativo. O ser de Deus está sempre em continua atividade. Mas fica subentendido que a atividade criadora aconteceu apenas sob a luz do dia, exceto obviamente no primeiro dia, que é quando esta distinção foi estabelecida.

E o que Deus quer mostra-nos de Seu caráter com isto?

Jesus certa vez afirmou "Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar."(Jo.9:4). Quando Deus organizou o Universo para que a Terra experimentasse períodos de luz e de trevas foi para ensinar que a realidade era uma realidade dividida. Quando a Terra foi criada, certamente a rebelião de Lúcifer já tinha acontecido. Ele com seu anjos caídos já perambulava pelos céus, aguardando o momento de agir contra a Criação. Isto explica a iniciativa divina de estabelecer uma firme divisão entre luz e trevas (Gn.1:4).

Ou seja: Deus que nos mostrar que Ele não faz nada nas trevas. Toda Sua obra é às claras, na visibilidade, sem acobertamento. Não é para menos que um de Seus títulos é "Pai das Luzes" (Tg.1:17).

E é também digno de nota a declaração paulina: "Porque, todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas."(ITs.5:5).

Uma simples frase e quanta riqueza podemos extrair dela. A Bíblia é realmente o livro de Deus!

3 comentários:

Teóphilo disse...

E é justamente por isso que a cada dia tenho mais certeza de que estamos vivendo a noite deste mundo...

Ainda assim devemos trabalhar, falar enquanto pudermos!

No início as pessoas se incomodavam muito mais com o "Noturno" de meu pseudônimo, mas isso não vem de mim, mas indica o momento em que estamos vivendo apenas.

O Senhor nosso Deus seja contigo, Herberti!

Gueder Alves Assumpção disse...

Poderia explicar melhor: "a tarde transformou-se em manhã e o dia de ontem foi encerrado"
Também tenho dúvidas porque o termo usado por Deus foi tarde e manhã, e não manhã e tarde, ao ler o texto continuo em dúvidas sobre o porquê disso.
Achei muito boa a explanação mostrando um dos carater de Deus, que opera sempre na luz, as claras.

Perfectavares Assistência disse...

Até onde sei, todas as culturas começam cada novo dia a meia-noite, exceto uma. Israel e a nação hebreia têm a singular distinção de começar cada novo dia ao pôr-do-sol. Você já considerou as consequências disso no contexto espiritual? Isso significa que cada novo dia começa no crepúsculo e se torna mais e mais escuro com o passar das horas. Quando o sol se levanta, o dia já está pela metade!
Com frequência, pessoas como nós (que amam a Jesus) se acham em tempos de escuridão, e em algumas situações, a escuridão parece mais e mais densa. No entanto, se relaxarmos e compreendermos que estamos entrando em um novo dia, o qual sempre é introduzido pelo pôr do sol e a redução de luz (entendimento) do dia anterior, talvez isto nos ajude a entender o processo, e a não temer a escuridão.